fbpx
Saúde

Saiba como fazer o cabelo crescer saudável depois da quimioterapia

Cuidados após o término da quimioterapia contribuem para o crescimento saudável do cabelo, além de melhorarem a saúde dos pacientes.

O tratamento quimioterápico realizado para combater células cancerígenas resulta em uma série de efeitos colaterais no organismo, incluindo a queda de cabelo e pêlos corporais por fragilizar os folículos pilosos.

Atualmente, uma das técnicas usadas para reduzir a queda capilar durante a quimioterapia é a chamada touca inglesa, que provoca o resfriamento do couro cabeludo para minimizar a exposição dos folículos dessa região aos agentes nocivos presentes nas medicações usadas.

No entanto, esse tipo de recurso ainda não é vastamente usado e nem é recomendado para todos os tratamentos quimioterápicos, sendo que o tipo de câncer e estágio da doença influenciam nessa indicação.

Dessa forma, muitos pacientes submetidos ao tratamento quimioterápico apresentam queda capilar e têm interesse por formas de acelerar o crescimento capilar saudável após o encerramento das sessões.

6 dicas para o cabelo crescer saudável após a quimioterapia

Finalizada a quimioterapia, os folículos pilosos começam a se fortalecer e o cabelo volta a crescer, sendo possível adotar uma série de cuidados para que os novos fios sejam saudáveis.

Em geral, os cabelo demora entre 2 e 3 meses após o fim da quimioterapia para voltar a crescer, sendo que os novos fios podem ser diferentes de forma que uma pessoa que tinha cabelo liso anteriormente comece a ter os fios cacheados ou vice-versa.

Normalmente, após um ano o cabelo volta ao normal, mas em alguns casos as pessoas passam a ter um tipo diferente de cabelo, com alterações na textura e na cor.

Independentemente disso é possível que os fios sejam saudáveis, mas isso vai depender de uma série de fatores. Conheça a seguir.

1. Alimentação adequada

A alimentação balanceada e saudável é essencial para recuperação do organismo e de diferentes áreas que ficaram sensibilizadas durante o tratamento oncológico, incluindo a dermatológica e capilar.

Dessa forma, recomenda-se investir em uma dieta balanceada, o que inclui variedade de frutas, legumes, verduras, cereais integrais e gorduras saudáveis, como as presentes nas oleaginosas e no azeite.

Por sua vez deve-se evitar alimentos processados e ultraprocessados que são ricos em açúcares, sódio, gorduras trans e conservantes.  

2. Reposição de vitaminas

O crescimento capilar saudável está diretamente relacionado com a disposição de vitaminas no organismo e não é incomum que a suplementação seja prescrita após um tratamento oncológico.

As que mais influenciam no crescimento capilar incluem as vitaminas do complexo B e as vitaminas A, C, D e E, pois contribuem no fortalecimento dos fios e saúde da pele e do couro cabeludo.

Além disso, a reposição de vitaminas contribui para o fortalecimento do sistema imunológico como um todo, contribuindo para a recuperação do paciente.

Apesar de benéficas, é preciso ter cuidado ao ingerir vitaminas, já que o excesso de vitamina A, por exemplo, também favorece a queda capilar.

3. Não usar produtos químicos

Os produtos químicos usados em procedimentos estéticos como alisamento, coloração e outros sempre resultam em danos à estrutura do cabelo, sendo contraindicados em diferentes casos, incluindo para pacientes depois da quimioterapia.

Ao menos enquanto os fios estiverem finos e quebradiços é importante evitar esse tipo de técnica, pois existem riscos de danos às hastes capilares e feridas ou irritações no couro cabeludo.

4. Manter os fios hidratados

A hidratação dos novos fios é importante devido à tendência de que eles estejam enfraquecidos e quebradiços logo que começarem a crescer.

Recomenda-se que a hidratação capilar seja semanal para melhorar a textura dos fios. Ainda que não altere diretamente o fortalecimento dos fios, a técnica ajuda na aparência do cabelo.

5. Fazer atividades físicas

As atividades físicas são um importante aliado na recuperação dos pacientes oncológicos, promovendo a liberação de hormônios benéficos ao organismo, como a endorfina.

Além disso, os exercícios contribuem no fortalecimento físico, recuperação da massa muscular, redução do estresse e ansiedade e melhora da circulação sanguínea, favorecendo a chegada de oxigênio às células, inclusive aos folículos capilares.

É importante que a definição do exercício físico, incluindo intensidade e frequência, seja conversada com o oncologista, respeitando sempre as limitações e possibilidades individuais.

6. Reduzir o estresse

O tratamento oncológico é frequentemente relacionado a quadros severos de estresse, ansiedade e depressão e o tratamento especializado é fundamental para que o paciente tenha suporte psicológico apropriado para superação desse momento.

A redução do estresse, como por meio de acompanhamento psicológico, técnicas de meditação, prática esportiva ou suporte familiar, por exemplo, é essencial para fortalecimento do sistema imunológico do paciente.

Além disso, o estresse está diretamente associado à queda de cabelo devido à elevação dos níveis de cortisol que prejudicam a vitalidade dos folículos pilosos.

Como visto, existem diferentes cuidados que contribuem para o crescimento capilar saudável, sendo importante adotá-los sempre que possível.

Caso verifique lentidão ou alterações significativas no crescimento do cabelo após a quimioterapia, procure um médico especialista em cabelos para avaliação, acompanhamento e tratamento.

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: