Ideias e Marketing

Criei um infoproduto. E agora?

Não basta criar um infoproduto e lançar no mercado. Planejamento e estratégias fazem parte de quem quer empreender no mercado digital.

Um estudo apresentado pela PayPal em parceria com a Ipsos, mostrou o “Perfil do Consumidor Online”, e os números do mercado online são impressionantes. Estima-se que em 2020, as compras realizadas pela internet atinjam cerca de R$ 220 bilhões. Diante deste contexto, o empreendedorismo digital tem ganhado força, cujo foco de atuação está em oferecer um produto ou serviço pela internet.

Um dos nichos mais explorados pelos empreendedores digitais, por conta do alcance e alta escalabilidade de lucros, são os infoprodutos – conteúdos gerados por meio de e-books, audiobooks, vídeoaulas, podcasts, entre outros.

“O primeiro passo para a criação do infoproduto é identificar um problema da sua audiência, que possa ser resolvido com o seu conhecimento. É importante saber como o conteúdo sanará as dores do público, por isso, o foco não deve ser as vendas, e sim, em ajudar as pessoas”, resume o CEO & Founder da TurboMKT, Edson Moreira. Alcançar o sucesso no mercado digital requer disciplina, foco e resiliência. Os resultados podem demorar a aparecer, mas o progresso deve ser mais importante que a perfeição. É preciso analisar os números e fazer os ajustes necessários.

Edson Moreira, CEO & Founder da TurboMKT (Imagem: Divulgação)

Após a finalização do infoproduto, ele não pode simplesmente ser exposto no mercado. “O sucesso começa no seu lançamento e, para isso, existem diversas estratégias que exigem estudo por parte do empreendedor e devem ser aplicadas antes de iniciar as vendas”, explica Moreira. O CEO da TurboMKT, que participa do Inovativa 2019.2 – o maior programa de aceleração de startups do Brasil –, recomenda respeitar a máxima: venda o que seus clientes desejam, entregue os que seus clientes precisam.

“De nada adianta apresentar em detalhes a solução, se a audiência tiver uma percepção diferente dela. Além desse erro existem outros muito comuns, ao criar o infoproduto: precificação errada; lançamento fora do ‘timing’ correto e entrega do infoproduto desalinhada com a oferta apresentada”.

Definidos os infoprodutos, é hora de escolher a plataforma de venda para fazer a distribuição dos produtos digitais, intermediação, processamento das vendas e pagamentos, repasse de valor, além do auxílio das estratégias de venda. “Nosso atendimento é personalizado e humanizado para que os clientes alcancem resultados melhores.Somos a única plataforma que oferece o Programa de Aceleração Digital, onde o empreendedor conta com uma equipe de especialistas para auxiliar na criação do seu produto digital, bem como toda a estratégia envolvida na divulgação – desde a ideia até o início das vendas. É possível fazer com que o conhecimento de um único indivíduo, ajude milhares de pessoas; e o melhor, com uma remuneração surpreendente”, comenta Moreira, que recebeu o prêmio como uma das três melhores startups de 2019 na categoria Inovação Digital, pela ABComm – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico.

Texto: Liberdade de Ideias

Etiquetas
Mostrar mais

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: