Tecnologia

AbraHosting: Ao Contrário das Previsões, o Uso de E-Mail Continua em Crescimento

Com mais de 40 anos de existência, o canal pioneiro de mensagem digital resiste à geração Millennials e ainda cresce ano a ano, inclusive em dispositivos móveis. Embora perca espaço para ferramentas como Slack e WhatsApp, o e-mail ainda é essencial para uso em marketing e negócios.

O mais antigo sistema de mensagens digitais – o e-mail – que foi lançado no mercado em 1973, antes mesmo da internet pública, ainda continua sendo um importante canal de comunicação da sociedade conectada. E a tendência é de que se fortaleça ainda mais, apesar da grande popularização das plataformas sociais de troca de mensagem instantânea.

Esta constatação é da AbraHosting, Associação Brasileira das Empresas de Infraestrutura, Cloud e Serviços na Internet, entidade que congrega os provedores responsáveis por 60% do tráfego de serviços web no Brasil. 
Segundo a entidade, mesmo com sua reputação afetada por um alto nível de mensagens indesejadas ou de spam, o e-mail é a única forma de mensageria universalmente adotada por 100% das organizações dos meios empresarial, acadêmico e governamental. E é a aplicação de mensagem predominante na grande maioria dos PCs e dispositivos móveis do mercado.

Num levantamento de dois anos atrás, a AbraHosting havia constatado que 95% do tráfego de email no Brasil era classificado como “spam” ou como informação indesejada pelos sistemas de bloqueio dos próprios provedores nacionais.  Mas os 5% restantes representavam mensalmente um volume situado na casa dos bilhões de mensagens e apresentavam nível de confiabilidade e relevância cada vez mais evidente para os usuários.

“A boa reputação do e-mail que efetivamente entra na caixa postal aumenta na mesma proporção em que a triagem dos provedores se torna mais rigorosa. Além disto, a própria população desenvolveu a habilidade de separar o e-mail inútil das mensagens de fato relevantes, o que fortalece a aceitação da ferramenta”, afirma Luis Carlos dos Anjos, presidente da AbraHosting.

O executivo também chama a atenção para o fato de o e-mail ser um dos meios mais usados para login de usuário em sites que exigem o cadastramento de senha, tornando-se assim uma das credenciais mais populares da sociedade global.

Segundo dados do IBGE, numa pesquisa de 2018, a verificação ou envio de e-mail foi o principal motivo declarado para a conexão à Internet por cerca de 70% dos brasileiros recenseados com acesso à rede.

O diretor de produtos digitais do UOL, Marcelo Varon, comenta que este motivador é ainda mais concreto quando se pensa em empresas. “O e-mail é universal e se tornou uma ferramenta indispensável no mundo empresarial, tornando a empresa mais memorável e facilitando o relacionamento com o mercado através de endereços práticos como [email protected], [email protected], [email protected], etc”, pontua o executivo. 

Na visão de Varon, o rápido crescimento experimentado pelos serviços de mensagem instantânea está longe de ameaçar a sobrevivência do e-mail porque, apesar de propiciarem maior agilidade na comunicação, esses novos canais oferecem menos recursos de formalidade e registro de conteúdos, adequando-se a questões mais efêmeras.

“Ferramentas como WhatsApp, Instant Messaging, Slack ou SMS são extremamente interessantes para conversas informais ou para a colaboração profissional em atividades passageiras, mas se a ideia é guardar uma cópia da mensagem, junto com históricos e arquivos para possível uso futuro, o e-mail segue sendo a melhor opção”, opina Varon.

Segundo Luis Carlos dos Anjos, além da maior rastreabilidade, através de diversas ferramentas de busca disponíveis nas aplicações para PCs e smartphones, o e-mail tem a vantagem da linha de assunto, que representa um diferencial na organização e é valorizada por cerca de 87% dos usuários como um critério extra para determinar a abertura de uma mensagem (em conjunto com a informação sobre o remetente).

Para fazer frente ao seu principal ponto negativo, que é a alta taxa de spam, o que as empresas começam a fazer é adotar plataformas de autenticação para suas mensagens que ajudam a conferir um status de licitude e conformidade jurídica para os e-mails corporativos. Este é o caso, por exemplo, da ferramenta de e-mail registrado da empresa global RPost.
“Outro recurso adotado é o da criptografia de conteúdo, que torna a mensagem inviolável, a não ser através de uma chave de uso exclusiva do destinatário”, prossegue o presidente da AbraHosting.



Tentativa de Abolir E-mail não Vingou

Segundo Gustavo Morgado, vice-presidente de marketing da AbraHosting, com a rápida evolução das mídias sociais e das plataformas móveis, há cerca de cinco anos, chegou-se a acreditar que o e-mail estaria com os dias contados e que seu tradicional formato de mensagens seria incompatível com as preferências e hábitos da chamada geração Millennials.

Em 2014, lembra ele, a multinacional Atos Origin chegou a experimentar um programa denominado “Zero-Mail”, para substituir quase que integralmente as comunicações de e-mail por sistemas de mensagem instantânea, visando aumentar a produtividade por funcionário.

“Na época, a experiência foi bem-sucedida em reduzir drasticamente a produção e tráfego de e-mails improdutivos, mas, ao invés de acabar com o e-mail, a campanha da Atos Origin acabou servindo para sanear este canal e torná-lo ainda melhor e mais efetivo para os negócios”, afirma Morgado.

Reafirmando sua resiliência em plena era dos Millennials, o serviço de e-mail segue crescendo e, de acordo com o Radicati Group, em 2019, conta com cerca de 5,6 bilhões de contas ativas no mundo, uma base 26% maior que as 4,35 bilhões de contas existentes em 2015.

Informações para a imprensa
Press Consult (11) 3865-8555
Contato: Fabiana Nogueira
[email protected]

Etiquetas
Mostrar mais

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: