Curiosidades 

Como as vibrações nos carros deixam os motoristas sonolentos

As vibrações naturais dos carros deixam as pessoas mais sonolentas, afetando os níveis de concentração e alerta em apenas 15 minutos.

Cerca de 20% dos acidentes fatais envolvem fadiga do motorista. Agora, os pesquisadores descobriram que as vibrações naturais dos carros deixam as pessoas mais sonolentas, afetando os níveis de concentração e alerta apenas 15 minutos depois que os motoristas começam a dirigir.

Voluntários foram testados em um simulador virtual que pode ser vibrado em diferentes frequências.
Crédito: RMIT University

Com cerca de 20% dos acidentes fatais envolvendo fadiga de motoristas, pesquisadores da Universidade RMIT, em Melbourne, na Austrália, esperam que suas descobertas possam ser usadas pelos fabricantes para melhorar os designs dos assentos de carros, para ajudar a manter os motoristas acordados.

[adcash_300_250]

O professor Stephen Robinson disse que os efeitos da vibração física nos motoristas não foram bem compreendidos, apesar das evidências crescentes de que a vibração contribui para a sensação de sonolência.

“Sabemos que 1 em cada 5 australianos adormeceram ao volante e sabemos que a direção sonolenta é uma questão importante para a segurança nas estradas”, disse Robinson.

“Quando você está cansado, não é preciso muito para começar a cochilar e descobrimos que as vibrações suaves feitas pelos assentos de carro enquanto você dirige podem acalmar seu cérebro e seu corpo.

“Nosso estudo mostra que vibrações constantes em baixas frequências, do tipo que experimentamos quando dirigimos carros e caminhões, induzem progressivamente a sonolência mesmo entre pessoas que estão bem descansadas e saudáveis.

“A partir de 15 minutos depois de entrar no carro, a sonolência já começou a tomar conta. Em meia hora, está causando um impacto significativo na sua capacidade de permanecer concentrado e alerta.

“Para melhorar a segurança no trânsito, esperamos que os projetos futuros de cadeirinhas possam incorporar características que interrompam esse efeito de embaçamento e combatam a sonolência induzida pela vibração”.

Liderados pelo pesquisador-chefe Professor Associado Mohammad Fard e pelo Professor Stephen Robinson, a equipe de pesquisa testou 15 voluntários em um simulador virtual que replica a experiência de dirigir em uma monótona estrada de duas pistas.

O simulador foi montado em uma plataforma que poderia ser vibrada em diferentes freqüências, com os voluntários testados duas vezes, uma com vibrações em baixas frequências (4-7Hz) e uma vez sem vibração.

Porque as vibrações nos carros deixam os motoristas sonolentos?

O cansaço induzido pela vibração torna psicologicamente e fisiologicamente mais difícil realizar tarefas mentais, de modo que o sistema nervoso do corpo se ativa para compensar, levando a mudanças no batimento cardíaco.

Ao observar a variabilidade da frequência cardíaca (VFC) dos voluntários, os pesquisadores conseguiram obter uma medida objetiva de como estavam sonolentos à medida que o teste de 60 minutos progredia.

Dentro de 15 minutos após o início do teste de vibração, os voluntários estavam mostrando sinais de sonolência. Em 30 minutos, a sonolência foi significativa, exigindo um esforço substancial para manter o estado de alerta e o desempenho cognitivo.

A sonolência aumentou progressivamente durante o teste, chegando aos 60 minutos.

O professor associado Mohammad Fard disse que é necessário mais trabalho para desenvolver as descobertas e examinar como as vibrações afetam pessoas em diferentes demografias.

“Queremos estudar uma coorte maior, particularmente para investigar como a idade pode afetar a vulnerabilidade de alguém à sonolência induzida por vibração, bem como o impacto de problemas de saúde, como a apneia do sono”, disse ele.

“Nossa pesquisa também sugere que as vibrações em algumas frequências podem ter o efeito oposto e ajudar a manter as pessoas acordadas.

[udemy_programacao]

“Então, também queremos examinar uma gama mais ampla de frequências, para informar os projetos de carros que poderiam potencialmente aproveitar essas ‘boas vibrações'”.

A equipe multidisciplinar de pesquisa da RMIT reuniu especialistas em vibração do corpo humano e engenharia automotiva, fisiologia do sono e realidade virtual das escolas de Engenharia, Saúde e Ciências Biomédicas e Mídia e Comunicação.

Fonte da história: Materiais fornecidos pela Universidade RMIT. Sciencedaily

Referência do Journal:

N. Zhang, M. Fard, M.H.U. Bhuiyan, D. Verhagen, M.F. Azari, S. R. Robinson. Os Efeitos da Vibração Física na Variabilidade da Frequência Cardíaca como uma Medida de Sonolência. Ergonomia, 2018; 1 DOI: 10.1080 / 00140139.2018.1482373

Related posts

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: