ovo na salada e parar de comer carne

Parar de comer carne e ovos ajuda combater o câncer?

Certos nutrientes e substâncias químicas em alimentos navegam pelas mesmas vias moleculares que certas terapias contra o câncer usam para retardar o crescimento do tumor, relatam os pesquisadores.

Pesquisadores podem manipular um desses caminhos compartilhados, que são usados por quimioterápicos e radiação para tratar o câncer de cólon e o sarcoma, com uma restrição alimentar a um crescimento tumoral similarmente lento, de acordo com um novo estudo.

A esperança de que a comida possa de alguma forma servir como uma arma na luta contra o câncer tem sido uma noção tentadora entre cientistas e pacientes, mas evidências que apoiam seus benefícios permanecem frágeis. Agora, os pesquisadores estão tentando mudar isso.

Parar de comer carne para combater o câncer?

“Sabemos que a dieta tem um enorme impacto em outras doenças, incluindo diabetes e hipertensão, e em alguns casos pode ser ainda mais eficaz em conter a doença do que drogas”, diz o autor sênior Jason Locasale, professor associado em farmacologia e biologia do câncer departamento da Duke University.

“Não temos uma situação análoga no câncer, mas parece que está se movendo nessa direção”.

Jason Locasale, Universidade de Duke

“O câncer é, em muitos aspectos, mais difícil, porque são doenças diferentes com múltiplas formas e geralmente definidas em um nível molecular, então estamos apenas começando a entender como a dieta e a nutrição estão influenciando isso”.

Os pesquisadores se concentraram em um aminoácido essencial conhecido como metionina, que o corpo necessita para o bom funcionamento celular e deve ser adquirido a partir da dieta, principalmente do consumo de carne e ovos.

A função da metionina está sendo cada vez mais analisada por seu papel na saúde humana, com estudos mostrando que a redução do aminoácido tem efeitos antienvelhecimento e anti-obesidade. Sua função no câncer ainda não está clara, mas absorve os mecanismos celulares do corpo usando os mesmos caminhos que várias drogas quimioterápicas e radiação usam para retardar o crescimento do tumor.

Em seu estudo, a equipe de pesquisa usou pela primeira vez tumores de câncer de cólon de pacientes que foram enxertados em camundongos, juntamente com modelos de tecidos de sarcoma em camundongos. Os pesquisadores então alimentaram os camundongos com uma dieta restrita a metionina, resultando em uma redução do crescimento do tumor. Uma análise do processo metabólico confirmou que o aminoácido agia através do mesmo processo celular empregado pelas drogas e pela radiação.



Metionina, a espada de dois fios

“Este estudo sugere que a restrição dietética de metionina induz perfis metabólicos rápidos e específicos em ratos e seres humanos que podem ser induzidas em um ambiente clínico”, diz Locasale.

“Ao interromper a via metabólica com a restrição dietética de metionina, pode ser possível melhorar os efeitos das quimioterapias e que visam esses aspectos do metabolismo do câncer.”

Locasale diz que as descobertas do estudo sobre parar de comer carne são precoces e ele adverte contra a interpretação errônea das evidências que levam pacientes com câncer a restringir a metionina. Em alguns tipos de câncer, diz ele, a restrição do aminoácido pode causar o crescimento do tumor, dadas as maneiras peculiares que as malignidades surgem e se espalham em diferentes órgãos.

“Este estudo pode ajudar a estabelecer mais princípios de como intervenções dietéticas podem ser usadas para influenciar os resultados do câncer em contextos mais amplos”, diz Locasale.

Os resultados aparecem na revista Nature.

O apoio ao estudo veio dos Institutos Nacionais de Saúde, dos Institutos Canadenses de Pesquisa em Saúde e do Centro de Pesquisa Clínica da Penn State University.

Fonte: Universidade Duke. Estudo Original DOI: 10.1038 / s41586-019-1437-3. Publicado originalmente em Futurity.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: