CiênciaCuriosidades

O futuro da humanidade: Super poderes estão ao nosso alcance

A mais recente oferta do Universo Marvel é o muito aguardado Doutor Estranho, o 14º filme da gigante cinematográfica.

Após um acidente quase fatal, deixando Estranho com dano irreparável do nervo, ele vasculha o planeta a procura de uma cura. Eventualmente, ele é apresentado ao multiverso, uma coleção de universos alternativos que operam ao lado do nosso Universo, e ele inicia uma odisseia de viagens entre eles.

Embora universos paralelos possam parecer inacreditáveis, muitos físicos teóricos postularam que esses universos poderiam existir, e poderiam ter versões alternativas da história, da Terra e de seu povo. Poderia até haver um universo paralelo cheio de seres com super poderes. Parece inteiramente improvável; Contudo, é (teoricamente) inteiramente possível.

[pub_quadro_google]

Mas na verdade, não há necessidade de procurar universos paralelos em busca de super poderes.

Neste universo, estamos num momento sem precedentes na nossa história. Não é uma questão de se vamos desenvolver super-poderes; Agora é uma questão de quando.

Fazendo um ser humano

Em X-Men: Apocalipse, o Professor Xavier e seus alunos lutam contra o poder do Apocalipse, o primeiro mutante a carregar o Gene X (que é o que dá aos mutantes seus super poderes). E curiosamente, há uma verdadeira ciência por trás de como isso funciona. Para entender bem, o nosso DNA contém mais de 20.000 genes, e quando alguns genes são expressados, eles produzem proteínas como colágeno e hemoglobina. O Gene X dá aos personagens de X-Men suas habilidades devido, em parte, ao fato de que eles produzem proteínas que nós não produzimos.

Mas e se pudéssemos fazer os genes por trás dos poderes de cura acelerados de Wolverine ou da força sobre-humana da Besta, poderíamos inseri-los em nosso DNA? Talvez.

A edição de genes humanos está prestes a acontecer, mas não se assuste, não ainda!

A inovadora ferramenta de edição de genes conhecida como CRISPR/Cas tem recebido considerável atenção da mídia, e já foi usada para editar o DNA de culturas, peixes zebra e até embriões humanos. Em suma, CRISPR é uma revolucionária técnica de edição de genes que pode modificar qualquer região do genoma de qualquer espécie com alta precisão e precisão … e ele faz isso sem prejudicar outros genes.

[Afiliados_300_250]

A CRISPR/Cas poderia ser usada no futuro para inserir esses genes de “super poderes” no DNA humano. Você realmente poderia se tornar um X-Pessoa. Ou pelo menos, você pode se tornar uma espécie de X-pessoa, aumentando a sua inteligência, tornando-se imune a doenças, e realizar qualquer número de outros feitos sobre-humanos. Graças ao CRISPR, temos a possibilidade de fazer isso, de redesenhar verdadeiramente a raça humana.

Naturalmente, o caminho biológico para super poderes virá daqui a muito tempo, devido à necessária resolução de questões éticas, societárias e financeiras envolvendo a edição de genes humanos… mas talvez aqueles que apreciam um futuro de super poderes podem, em vez disso, recorrer a avanços recentes na tecnologia moderna e em materiais.

A tecnologia encontra o corpo

Extraído do grafite por Andre Geim em 2003, o nome grafeno parece um romance de ficção científica. É essencialmente o carbono dissecado ao nível de uma única molécula: o primeiro objeto bidimensional do mundo. É quase transparente e quase sem peso, mas é mais forte do que o aço e diamantes. Se isso não for suficiente, ele possui uma propriedade particularmente surpreendente, o grafeno é um dos melhores condutores do mundo. No entanto, muitos pensam que ele, sem uma “aplicação matadora”, não tem utilidade real.

Mas é realmente assim?

E se essa “aplicação matadora” for em coletes à prova de balas que são praticamente tão leve como o ar, mas pode oferecer melhor proteção do que o Kevlar ou as ligas de aço mais fortes? Se você usasse tal terno, você poderia replicar o poder de Colossus do filme Deadpool, cujo exterior de “aço orgânico” protege sua pele, ossos e órgãos.

[adcash_300_250]

E depois há o terno do Homem de Ferro. É um terno de exoesqueleto que protege o portador, tem armas e voa com foguetes nas luvas e botas. E há várias coisas que estamos desenvolvendo que se aproximam. A empresa japonesa Cyberdyne desenvolveu um exoesqueleto conhecido como HAL (Hybrid Assistive Limb 5) que poderia aumentar a força de um usuário ou deixar alguém com lesões na coluna operacional novamente (James Rhodes pode ser visto usando uma tecnologia HAL 5 no final do Capitão América: Guerra civil).

Há também o RL Mark VI, que poderia nos permitir voar (ou pelo menos, cair) como Iron Man. Depois, há os muitos jetpacks (mochilas a jato).

Mas você já parou para pensar que o terno do Iron Man representa o futuro dos biossensores? Durante a batalha épica no aeroporto no filme Capitão América: Guerra Civil, Wanda Maximoff deixa cair um número de carros no desavisado Tony Stark. Como Tony está distraído, seu computador com IA Friday (sexta-feira) afirma “múltiplas contusões detectadas”.

Isso é diagnóstico imediato, e está chegando.

Sensus, um concurso internacional de estudantes para o desenvolvimento de biossensores realizado na Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda, é focada neste objetivo. Este ano, as equipes universitárias desenvolveram sensores em miniatura para detectar a creatinina, um biomarcador para a função renal. No próximo ano, o foco da competição SensUs será no biomarcador cardiovascular NT-proBNP.

[afiliados_250_250]

Enquanto isso, a Singularity University criou One X, e fez o primeiro e patenteado, dispositivo biossensor em tempo real. A tecnologia permite você hackear sua saúde com biometria, lendo alterações do nível de antioxidante na pele da palma da mão, o que poderia nos dizer se (e como) coisas diferentes como sono, nutrição, exercício, consumo de álcool, poluição, e estresse estão nos impactando.

Ainda há muito trabalho a ser feito em relação à tecnologia e edição de genes. Mas estamos chegando lá. E embora seja verdade que, se você pudesse saltar entre universos paralelos como o Doutor Estranho, você poderia eventualmente parar em um universo com super poderes em abundância, e fazendo isso, estaria deixando este mundo para trás, um mundo à beira de fazer a humanidade Sobre-humana.

Mas mais do que isso, este é um mundo onde você pode não só usar superpoderes, você poderia ser um dos pioneiros cientistas liderando a revolução.

Fonte: Futurism

Etiquetas
Mostrar mais

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: