espionar chats criptografados

Google, WhatsApp e Apple criticam proposta do GCHQ para espionar chats criptografados

Um grupo de 47 empresas, incluindo Apple, Google, Microsoft e WhatsApp, criticou fortemente uma proposta da agência de inteligência britânica GCHQ de escutar as mensagens criptografadas.

Em uma carta aberta publicada no Lawfare, as empresas dizem que os planos minariam a segurança, espionar chats criptografados ameaçaria a confiança em serviços de mensagens criptografadas e, em última instância, colocariam em risco o direito dos cidadãos à privacidade e liberdade de expressão.

A proposta do GCHQ foi publicada pela primeira vez em novembro passado como parte de uma série de ensaios, e não reflete necessariamente uma agenda legislativa da agência de inteligência neste momento. No ensaio, dois altos funcionários da inteligência britânica argumentam que a aplicação da lei deve ser adicionada como um participante “fantasma” em todas as conversas de mensagens criptografadas.

Isso significaria que as agências de inteligência estariam centradas em mensagens criptografadas, sem que os usuários soubessem que estão presentes em um bate-papo. Os autores da proposta argumentam que esta solução não é mais invasiva do que as práticas atuais de escutas clandestinas em conversas telefônicas não criptografadas.



Embora essa abordagem elimine a necessidade de adicionar portas traseiras aos protocolos de criptografia, os signatários da carta de ontem argumentam que essa solução ainda “minaria seriamente a segurança e a confiança dos usuários”. Eles dizem que as propostas exigiriam que os aplicativos de mensagens mudassem a forma como eles usam a criptografia e precisam enganar os usuários, ocultando mensagens ou notificações sobre quem está presente em um bate-papo.

Conheça as principais táticas de ciberespionagem

Respondendo à carta aberta, um dos autores originais da proposta, Ian Levy, do Centro Nacional de Segurança Cibernética, disse que a proposta espionar chats criptografados era “hipotética” e que se destinava apenas “como ponto de partida para discussão”. Em um comunicado enviado à CNBC , Levy disse: “Continuaremos a nos envolver com as partes interessadas e esperamos ter uma discussão aberta para alcançar as melhores soluções possíveis”.

Publicado no site The Verge

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: