Tecnologia

Download do cérebro para o computador…Quando?

Os avanços nos cuidados de saúde e medicina significam que poderíamos viver vidas mais longas e saudáveis ​​do que nunca, mas é provável que os nossos corpos físicos tenham uma data de validade e precisaremos fazer o download do cérebro para o computador.

Mas e se nosso cérebro pudesse viver para sempre sem nossos corpos? Essa é a ideia por trás do download cerebral (também conhecido como download da mente) ou da emulação cerebral completa (WBE).

É mais provável que seja em ficção científica do que em laboratórios de ciências, mas isso não impediu que ele ressurgisse graças aos avanços da biotecnologia e da inteligência artificial.

Agora se tornou um tópico válido de discussão entre neurocientistas, futuristas, filósofos e até transumanistas. Teoricamente, fazer o download do cérebro para o computador poderia nos permitir viver para sempre, existir apenas na realidade virtual, criar backups de nós mesmos e até mesmo proteger nossa espécie contra o desastre.

Mas será que isso realmente seria possível? E mesmo se for, devemos fazer isso?

Os detalhes são incrivelmente complicados, mas a ideia básica por trás do download do cérebro para o computador é que podemos pegar um cérebro e escanear sua estrutura. Em seguida, criamos um modelo que seja tão fiel ao original que possa ser executado em hardware e se comporte exatamente da mesma maneira que o original.

Como fazer o download do cérebro para o computador

Este não é um simples trabalho de copiar e colar. Para entender como fazer download de um cérebro, precisamos entender o que é um cérebro. Esse é o único órgão que a ciência ainda precisa entender.

“O cérebro é uma bola bagunçada de neurônios, células gliais. vasos sanguíneos, células do sistema imunológico e outras coisas.” A Dra. Grace Lindsay, uma neurocientista e autora computacional, conta à Metro.co.uk. “Há muito, não sabemos”, diz Lindsay.

Isso se deve em grande parte ao fato, diz ela, de que não podemos usar técnicas invasivas para registrar como os neurônios individuais no cérebro humano funcionam. “Sem isso, ficamos com apenas métodos muito grosseiros de estimar o que os neurônios estão fazendo”, diz ela.

Um ótimo exemplo é que nem sequer sabemos a escala completa da tarefa. Os cientistas estavam confiantes de que nós temos cerca de 100 bilhões de neurônios transmitindo informações sensoriais do mundo exterior para nossos cérebros e nossos músculos, mas a pesquisadora Suzana Herculano-Houzel investigou e descobriu que ninguém sabia de onde aquele número tinha vindo ou quem a pesquisou.



Sua própria pesquisa colocou o número em 86 bilhões. Talvez você não pense que isso seja uma grande diferença, mas, como ela apontou, “os 14 bilhões de neurônios equivalem basicamente ao número de neurônios que um cérebro de babuíno possui ou quase a metade do número de neurônios no cérebro dos gorilas”. Isso mostra a escala da tarefa em mãos.

“Há quebra-cabeças que ainda não resolvemos sobre cérebros de animais, mesmo com essas técnicas, então nosso conhecimento do cérebro humano – e habilidades específicas de humanos, como a linguagem – tem um longo caminho a percorrer”, diz Lindsay.

Várias organizações surgiram ao longo dos anos para nos ajudar a mapear melhor nossos cérebros. A Brain Initiative está mapeando o cérebro para mostrar como células individuais e circuitos neurais interagem, a Darpa tem financiado pesquisas científicas em interfaces cérebro-computador e Blue Brain Project está construindo reconstruções digitais precisas e simulações do cérebro de um roedor com o objetivo de fazer o mesmo com um cérebro humano no futuro.

“Temos uma compreensão geral decente da percepção, memória e ação motora”, disse Anders Sandberg, pesquisador do Instituto Futuro da Humanidade, da Oxford Martin School, da Universidade de Oxford.

Tradução parcial da matéria publicada no site Metro.co.uk, veja publicação completa aqui.

Etiquetas
Mostrar mais

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
%d blogueiros gostam disto: