Conhecimento

As soluções climáticas são óbvias – mas o lucro e a política estão no caminho

É lamentável que algumas pessoas em nosso mundo simplesmente não deixem uma crise séria ser desperdiçada. Eles querem mais dinheiro, mesmo que para qualquer pessoa racional, o conceito de auto-enriquecimento no Titanic pareça completamente insano.

Por Sergey Baranov Escritor colaborador do Wake Up World. Publicado emWake Up World

Em algum momento de 2015, tive uma conversa interessante com um físico aposentado que também trabalhava para um banco local em nossa cidade no Vale Sagrado. Conversamos sobre as mudanças climáticas e o que isso significava para nós. Naquela época, as mudanças climáticas já haviam suscitado muito debate, mas poucas de suas conseqüências ainda podiam ser vistas.

Durante nossa conversa casual, ele me disse que havia calculado que o eixo da Terra havia se inclinado oito graus. Perguntei-lhe quais eram as implicações para a mudança ambiental. Ele explicou que isso pode fazer com que o clima mude globalmente. Os invernos, disse ele, ficarão mais frios e os verões mais quentes. Um aumento de chuvas e inundações em algumas áreas, secas e incêndios em outras; atividade vulcânica e terremotos também devem ser esperados. Uma previsão bastante alarmante para o futuro.

Quando perguntei o que poderia ser feito sobre isso, ele simplesmente disse: “Nada. Apenas esteja seguro até que a Terra se reajuste.” Bem, isso já era uma boa notícia. A Terra se reajustará eventualmente, mas quando? Quanto dano teremos que sofrer antes que isso aconteça? Não havia realmente nada que pudéssemos fazer para ajudar a Terra a encontrar seu equilíbrio? O que toda a nossa tecnologia e ciência significa se não puder ser aplicada para ajudar o meio ambiente? Fizemos muito progresso na criação de armas de destruição em massa, mas não temos nada para proteção em massa.

Ele explicou ainda que os países próximos ao equador serão menos afetados e os mais distantes serão os mais afetados. “A Sibéria poderia ficar verde e a Austrália branca?”, Perguntei a ele. “O Egito antigo era verde há milhares de anos e agora é um deserto”. Ele disse que ninguém pode prever o impacto dessa mudança no meio ambiente. É um fenômeno novo com o qual ainda não lidamos. A grande inundação da antiguidade veio à mente. Independentemente de ter sido causado ou não pelo impacto de um asteroide na Terra há 13.000 anos ou devido a outras forças da natureza, o evento é conhecido na história da humanidade e é mencionado em muitos textos antigos de todo o mundo.



Eu não sou um cientista, e o cálculo não é uma maneira de me relacionar com o mundo. Mas confio naqueles que passaram anos se dedicando a ele, especialmente naqueles que não têm interesse em criar o caos. Falando mais, soube que um de seus clientes no banco era ou ainda é um funcionário da NASA que estava procurando comprar terras perto do Vale Sagrado dos Incas, onde moramos. Tentei perguntar mais sobre ele, sua posição e motivos, mas meu amigo relutou em dizer mais alguma coisa. Ele apenas disse: “Eles sabem”.

Fui para casa um pouco perturbado depois da nossa conversa. Parecia real demais para ser ignorado. Os anos se passaram e não nos encontramos novamente. Eu meio que esqueci isso até o ver novamente na cidade.

“Você vê que o tempo está mudando agora?” Ele me perguntou quando nos vimos na fila no mesmo banco em que trabalhava antes. Como um flashback, lembrei-me da conversa que tivemos anos atrás. Mas agora isso parecia diferente à luz de eventos como o congelamento incomum nos Estados Unidos, onde Chicago parecia a cidade de Nova York no filme O Dia Depois de Amanhã, e o calor incomum em lugares como Rússia e Europa neste verão. O clima, pensei, certamente está ficando mais extremo. A recente atividade vulcânica no Havaí e vários terremotos em todo o mundo também vieram à mente.

Embora o assunto das mudanças climáticas tenha se tornado altamente politizado, a ponto de causar psicose em alguns, uma reação alérgica em outros, é algo que pode afetar todos nós, além de raça, religião e partido político. Consequentemente, um esforço comum deve ser feito para entendê-lo de maneira imparcial.

Soluções climáticas são óbvias, mas o lucro e a política estão no caminho

É lamentável que algumas pessoas em nosso mundo simplesmente não deixem uma crise séria ser desperdiçada. Eles querem mais dinheiro, mesmo que para qualquer pessoa racional, o conceito de auto-enriquecimento no Titanic pareça completamente insano.

A falsificação de dados, que se tornou conhecida pelo público graças a vazamentos de e-mails sobre mudanças climáticas, coloca um grande ponto de interrogação em sua credibilidade. O esquema de crédito de carbono o torna ainda menos crível. Isso implica que aqueles com mais dinheiro podem poluir mais e, assim, continuar contribuindo para a mudança climática. Mas isso faz sentido? Você ainda está poluindo o meio ambiente e causando danos. A compra de créditos de carbono não impede a poluição. Não há mudança, mas mais enriquecimento para alguns.

Não é necessário um doutorado. em ecologia, entender que o dióxido de carbono é o que consomem árvores e plantas para produzir o oxigênio que todos respiramos. Logicamente falando, um aumento na floresta consumirá e equilibrará as emissões. Aqui, uma pessoa racional sugeriria que esse problema global fosse tratado em duas frentes: primeiro, aumente a floresta e, em segundo lugar, diminua as emissões promovendo a energia e a tecnologia verdes. Sob as circunstâncias dadas, o desmatamento parece levar o medicamento para longe de um paciente que poderia sobreviver. Mas parece que a ganância corporativa não tem nada a ver com a razão, muito menos com a moralidade e o cuidado. Ele vê o mundo através de um balanço e não se importa com mais nada.

O filme Avatar vem à mente. Infelizmente, esta é a realidade que estamos vivendo na Terra, não em Pandora. “Em Deus confiamos”, diz a nota de um dólar, que se tornou Deus há muito tempo. Mas quanto vale o dinheiro na Lua?

É um enigma para mim pensar sobre os que estão no poder que podem efetuar mudanças no mundo, mas não o fazem. Como eles podem ser míopes ou até cegos? Suas ações estão prejudicando diretamente o mundo que seus próprios filhos e netos herdarão, mas ainda apostam no lucro imediato sobre o bem-estar futuro de seus filhos.

“É uma pena que a cavalaria brasileira não tenha sido tão eficiente quanto a dos americanos, que exterminaram seus índios.”

Jair Bolsonaro

Estamos destruindo nossas florestas para fazer papel higiênico, que só podemos usar enquanto respiramos. “Limpar nossos traseiros até o último suspiro” parece ser o novo lema da humanidade. Por que não usar o cânhamo? Ainda podemos limpar, mas sem nos destruir no processo. A resposta a essa pergunta é a corrupção corporativa, a ganância e a sociopatia, os ingredientes ativos dos que estão no poder.

Quando eu era criança e comecei a estudar matemática na escola, 2 mais 2 eram iguais a 4. Então, eu não sabia que dois sociopatas e dois sociopatas são iguais à elite dominante e a um desastre iminente. Recentemente, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, sugeriu que cagássemos menos para salvar o meio ambiente. Enquanto isso, a destruição da Amazônia brasileira se acelerou desde que ele assumiu o cargo. Os pulmões da Terra estão destruindo um campo de futebol por minuto enquanto falamos.

Não é difícil imaginar nosso futuro distópico, orwelliano, sob esse tipo de liderança. A retórica fascista de Bolsonaro em relação aos povos indígenas também é alarmante. Um ex-nacionalista militar de extrema-direita disse uma vez: “É uma pena que a cavalaria brasileira não tenha sido tão eficiente quanto a dos americanos, que exterminaram seus índios.” Pessoas que ainda mantêm sua conexão com a Terra e seu espírito são agora sob uma ameaça de extinção. Parece que não é só o clima que está ficando extremo.

Também devemos ser justos e reconhecer aqueles que estão realmente preocupados com o meio ambiente. Por exemplo, enquanto o presidente dos Estados Unidos está construindo um muro gigante competindo com a Grande Muralha da China, os militares chineses ordenam 60.000 soldados para plantar árvores. Enquanto isso, a Índia se compromete a aumentar suas florestas para combater as mudanças climáticas sob o Acordo de Paris, do qual o presidente Trump retirou, e a Etiópia planta 350 milhões de árvores em 12 horas.

Algum bem é feito no mundo e esse tipo de esforço deve ser reconhecido e apoiado.

Mas não importa quantas árvores serão plantadas no solo, se as sementes da sabedoria, da empatia e do cuidado com a Mãe Terra e umas com as outras não forem plantadas em nossos corações, ainda encontraremos uma maneira de nos destruir, mesmo se combatermos a poluição.

Por Sergey Baranov Escritor colaborador do Wake Up World. Publicado em Wake Up World

Etiquetas
Mostrar mais

Eder Oelinton

Jornalista, amante de tecnologia e curioso por natureza. Busco informações todos os dias para publicar para os leitores evoluírem cada dia mais. Além de muitas postagens sobre varias editorias!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
%d blogueiros gostam disto: